Altivez, presunção e soberba. Sinônimos de tolice.

Outro dia publiquei a seguinte frase no Facebook: “Os mais tenazes confrontadores de determinados assuntos são, geralmente, os que mais desconhecem sobre o objeto de seus ferrenhos ataques. Sua intolerância anda de mãos dadas com sua tolice”. Tal pensamento veio-me à mente após assistir a uma série de vídeos e compartilhamentos em redes sociais em que pseudo-PHDs em diversos assuntos teimavam em confrontar movimentos, filosofias, opções sexuais, crenças etc. Sem o mínimo embasamento.

Não é novidade que, atualmente, com o poder do botão publicar e a rapidez do Google, muita gente considera-se um perito em qualquer assunto. “Só sei que nada sei” é inadmissível no vocabulário dos experts da era do futuro. Sócrates era limitado a seu tempo. Atualmente não existe nada que cinco minutos de Google não resolvam. Melhor, nada de Google. Basta juntar-se algumas pérolas virtuais e o tolo poderá, instantaneamente, refletir, ponderar, julgar e deferir seu veredicto a respeito. Se já houver algum tweet ou instagram pronto, basta eu compartilhar o axioma.

Instaxioma: Basta uma cretinice qualquer escrita com impacto visual para o tolo considerar uma verdade inquestionável. Pensar pra quê? Instaxioma: Basta uma cretinice qualquer escrita com impacto visual para o tolo considerar uma verdade inquestionável. Pensar pra quê?

Nada contra o Google. Muito pelo contrário. A vastidão do conteúdo por ele indexado permite que todos tenham acesso rápido a excelentes fontes de conhecimento, como a Wikipedia, Ted/TedX, cursos completos de universidades de renome, documentários e blogs repletos de informação. O conhecimento está na nuvem, acessível a todos. Mas quantos realmente dispõem seu tempo e esforços para buscá-lo? Infelizmente, em detrimento à busca, preferem uma opinião rasa e pré-concebida. O provérbio de Salomão define bem esta questão: “O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselho”.

Sim, a tal da sabedoria, fator decisivo para a correta utilização do conhecimento, ou seja, se ele será uma ferramenta útil para refinados diálogos e constantes aprendizados ou uma saudação à tolice. Refletir sobre o mito da caverna, de Platão, e mergulhar nos provérbios de Salomão são excelentes exercícios.

Ah, e um pouco de leitura também ajuda.

1 Comment

  1. Sócrates

    6 anos atrás

    Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa.

    Reply

Leave a Reply to Sócrates Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *