Corrida #2: Circuito das Estações Adidas – Primavera 2010

Oito dias após ter participado de minha primeira prova chega a hora de ser debutante em corridas de rua. Inscrição feita, kit em mãos e não tinha como desistir. Na verdade, eu poderia desistir e tudo durante a semana que antecedeu o dia da prova foi um convite para o descanso.

72414Primeiro, os pés extremamente inchados e a dor que permaneceu nas plantas até quarta-feira (22/10). Também dias úteis cheios, com muita ocupação com trabalho, estudos e a já conhecida preguiça me impediram de fazer sequer um treininho leve. Domingo, dia da prova, acordo cedo ao som de chuva pesada caindo sobre o chão do quintal. Por fora do cobertor, frio. Dentro, calor e presença da esposa. Jogo sujo esse, mas tirei forças não sei de onde, levantei-me e em dez minutos estava pronto para o desafio. E dessa vez seria sozinho.

Dentro do carro, ao passar pela Marginal Pinheiros, avisto os primeiros loucos da manhã. Participantes da Meia Maratona das Pontes. Nessa hora pensei que devia haver ali gente que eu não conhecia mas já tinha certa intimidade (coisas de Internet). Um dia depois pude confirmar o fato. Blogueiros que sigo e admiro (Eduardo Acacio, Fabio Medeiros e Joel Leitão) estavam lá enfrentando mais um desafio.

Apesar da forte chuva, a Praça Charles Miller estava cheia de gente. Muita movimentação e um clima muito gostoso. Sei que esse deve ser papo de marinheiro de primeira viagem, mas achei tudo muito bacana. Peguei o chip, deixei as coisas no guarda-volumes, dei uma passadinha no espaço do Clube O2 e então fui me aquecer para a prova, sem antes me lembrar das cores de cada pelotão. [Para a prova existem diversas entradas para a fila que é formada antes do início da prova para que não haja gente lenta atrapalhando os mais rápidos ou os mais rápidos derrubando os lentos]. Dirigi-me ao pelotão Quênia e olhei para trás para enxergar os milhares que seriam muito mais lentos que eu (risos).

Corri para o final da fila, afinal, minha categoria estava bem abaixo do último grupo. Para uma ideia mais real, os vencedores de provas de 10k completam o percurso em 30, 32 minutos. Minha experiência anterior em 10k foi finalizada em uma hora e meia!

Here we go again.

Começa aquela caminhada até o congestionamento se desfazer no início da prova. O corpo já estava aquecido e estava bem comigo. A chuva diminuiu e eu queria entender o porquê de sempre chamá-la para um passeio. Talvez tenha sido melhor. Dizem que o percurso no elevado Costa e Silva sob sol é terrível.

Consegui manter um bom ritmo e procurei curtir cada momento daquela que seria uma lembrança eterna como a minha primeira prova de rua. Sorri para pessoas de todos os tipos, ri demais com alguns doidos que apareciam pelo caminho, olhei com espanto, quando, ainda na “ida” do elevado, os primeiros colocados brigavam pela conquista da prova com uma média de 19, 20km/h e, apesar de ser mais um anônimo naquela multidão de anônimos, percebi que todos tínhamos algo em comum (além da obviedade da participação do evento): a superação. Para alguns, superar o adversário, faturar o caneco e ter seu nome anunciado a todos, para outros, superar seu recorde e, para mim, superar meus demônios que insistiram em me dizer que não conseguiria terminar a prova.

Correndo sozinho a mente transforma-se em melhor amiga e pior inimiga. Por isso, tentei permanecer a maior parte do tempo focado em meu rendimento, afinal, nunca havia conseguido correr 10k (com paradas ou não). Com essa seriedade no pensamento (que ficou registrada até nas fotos) continuei minhas passadas e senti um grande alívio ao ver a marca de 7km no elevado. Estava tudo bem. Não há como negar que o cansaço foi forte mas não cheguei a sentir dores fortes, como havia acontecido em Ilhabela.

De volta à avenida, avisto as vivas cores na praça Charles Miller e a entrada principal do estádio do Pacaembu. Faltava pouco e, nesse pouco que faltava, consegui habilitar novamente meu KERS, fechei os olhos e efetuei um disparo de cerca de 200 metros até a linha de chegada. Vontade louca de dar um abraço forte na esposa e até chorar aos seus braços pois ela é uma das pessoas que acompanha minha lutas para conseguir vencer.

Mais um passo dado. Satisfação.

Circuito das Estações Adidas – Primavera 2010
Data: 26 de setembro de 2010
Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo, SP
Distância: 10k
Tempo: 01:08:19
Velocidade média: 8,78km/h
Pace: 06:49min/km

2 Comments

  1. Letícia

    8 anos atrás

    Ainda vamos correr juntos esse circuito e muitos outros, meu amor! Parabéns pelas vitórias. I’m really proud of you!!!

    Reply
    • admin

      8 anos atrás

      Nao tenho a menor duvida! 🙂 Aguardando ansiosamente!

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *