As tais redes sociais, o tal RSS e outros “tais” da Internet

Can you feed me, please?Para alguns pode ser um assunto mais do que batido pois já deve ter se tornado parte da rotina há muito tempo. Entretanto para outros ainda é algo desconhecido. O significado das letras também não é muito amigável (RSS vem de Really Simple Sindication). Meus amigos não são muito fãs de tecnologia mas vivem navegando pela Internet. Aí vêm as perguntas: “o que é esse tal de Twitter?”, “e essas tais de redes sociais, o que são?”. Então, se a Internet é presença constante na vida de todos, sou eu quem pergunta: por que correr atrás da informação se ela pode vir até você?

A Internet já faz parte da vida das pessoas há uns quinze anos e, em tese, a tal da globalização teve um grande salto com a chegada dela, afinal, a ideia de ter-se uma tribo global em prol da integração mundial nas mais diversas áreas (econômica, social, cultural, política) totalmente conectada durante as 24 horas do dia é fantástica e louvável. Mas o que se via até hoje eram transmissores e receptores de informação em polos distintos. Os agentes de comunicação e os internautas.

Com o advento dos blogs e redes sociais, o internauta passou a ter acesso mais fácil à publicação de conteúdo, afinal, o que antes era exclusivo daqueles que detinham os conhecimentos e recursos necessários (domínios, serviços, HTML, bancos de dados etc) tornou-se algo fácil, a um clique de distância. Publicar seu próprio conteúdo gratuitamente em uma estrutura concisa, independentemente dos assuntos abordados, foi o que a onda de aplicativos web 2.0 trouxe. Redes sociais como o Facebook, MySpace, Orkut e LinkedIn permitiram a reunião de pessoas por afinidades. Serviços de blogging como o Blogger e WordPress fizeram de anônimos “celebridades virtuais” devido ao alcance de suas postagens. Mas a exigência de textos com uma quantidade mínima de caracteres, com uma estrutura bem definida com leads, entretítulos e parágrafos e com um português bem escrito ainda traçava um limite para a publicação de conteúdo. Foi quando surgiram os serviços de micro-blogging, sendo o Twitter o mais famoso destes, que se tornou febre mundial pois qualquer um pode escrever o que quiser – em português, inglês, francês… ou internetês – dentro do limite de 140 caracteres. Tem gente que até ganha dinheiro com isso.

O título deste post começa com a pergunta referente ao RSS pois o considero um dos itens mais importantes dentro de qualquer aplicativo mencionado acima e, “por increça que parível”, ele não recebe a ênfase devida. Geralmente são aqueles ícones laranjinhas escondidos em algum canto da página ou as palavras “Feeds”, “Atom” ou o próprio “RSS”. Não darei nenhuma definição técnica pois estas podem ser encontradas na Wikipedia, acessível nos hiperlinks presentes no texto. Aliás, falando em Wikipedia, ela também é grande protagonista na (r)evolução da Internet.

O RSS é nada mais que um simples arquivo de texto que possui referências ao conteúdo de um site, um blog, um microblog ou um serviço de Internet, que se atualiza automaticamente. Quero um exemplo, Bottini! Bom, se você for fã do canal de Esportes, Economia ou Tecnologia de algum jornal, você cadastra o RSS destes canais no seu leitor de RSS (já falo sobre os leitores) e, sempre que houver alguma novidade, será informado sem que haja a necessidade de acessar o site e procurar pela novidade. Outro exemplo? Seu amigo possui um blog e você gosta de saber quando ele publica algo novo. Mais um? Um parente decidiu dar a volta ao mundo em 80 dias e periodicamente ele coloca no ar uma galeria de fotos no Flickr com suas aventuras. Quer algo mais multimídia? Cadastre o RSS da CBN e ouça na íntegra os comentários dos colunistas que desejar. Já ouviu falar em podcast? Voici le RSS.

Mas como eu faço para ler esse tal de RSS? Apesar de mencionar alguns serviços deste gigante da Internet, ainda não tinha escrito o seu nome. O melhor ficou para o final. Já testei diversos leitores mas o Google, em minha opinião, apresentou a solução. O seu aplicativo online Google Reader agregou em um serviço tudo o que o RSS oferece. Desde a natural leitura de atualizações até a organização de feeds por pastas e inserção de notas e comentários. Viu que um texto é bom mas está sem tempo para lê-lo agora? Marque-o como não lido. Gostou dele? Coloque uma estrelinha nele e depois acesse seus “Starred items/Itens com estrela”. Gostaria de mostrar a seus amigos um post interessante? Compartilhe-o com contatos e digite um comentário. Você pode deixar uma guia de seu navegador com o Google Reader aberto e ele sempre mostrará o que há de novo. Ah! Existe também a versão desktop dele, baseada no Adobe AIR.

Gostou do assunto deste post? Seguem algumas palavras-chave para você pesquisar um pouco mais: podcast, video podcast, xml, atom feed.

Nenhum comentário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *